Ocorreu um erro neste gadget

7/12/2008

Ecobolsa em lona amarela/algodão estampado

Fiz aproveitando um retalho de lona amarela resistente e a parte superior do calendário 2000.
Do outro lado, algodão xadrez entremeado de maçãs e o bolso em algodão cru.
Tem ainda uma bolsinha com fecho de zíper para guardar as coisas pequenas.
Disponível para venda. Maiores informações entre em contato comigo: ecodesenho@gmail.com ou 5181941294@tim.com.br.

Hiper ecobolsa em algodão verde/cru

Hiper ecobolsa dupla face, de um lado em algodão cru com bolso de sobra de tecido de capa de estofado bem colorido. Do outro, algodão verde claro e a parte do calendário 2000 (Karsten) da ecobolsa amarela. Ainda tem uma bolsinha fechada com velcro para pôr a carteira, ou o celular, ou o que se quiser. VENDIDA. Para outras informações entre em contato: ecodesenho@gmail.com ou 9700.0018

Jeans revisitados...

Fiz aproveitando pedaços de brim. É toda cheia de bolsinhos onde se pode guardar de tudo um pouco. Esta não está à venda...
Mais uma, desta vez apenas com um tipo específico de fio de sacola plástica. Ficou muito leve e prática, com o fechamento com velcro e o bolso interno. Fui testá-la na viagem que fiz para Fortaleza e está plenamente aprovada. Resistiu bem, voltou sã e salva, praticamente igual, apesar de ter enfrentado algumas "adversidades", como o passeio de escuna.

Sacola com embalagens de ração

Macramê em três versões

Três diferentes tipos de trabalho em macramê:
- a primeira, uma bolsinha de crochê que guarda uma sacola em leve trama de macramê;
- a do meio, duas versões de bolsinhas de festa para celular e documentos, forradas;
- e a terceira, uma sacola em barbante tingido para ir às compras.
Qualquer uma delas disponível apenas por encomenda.

Bolsinha em tear de pregos

Fiz esta bolsinha testando o efeito do fio de sacola plástica tecido em tear de pregos. E gostei do resultado. Fica macio, leve. Os enfeites em círculos em dois tons de azul foram feitos com lacres de garrafas pet.

Encomenda Silvana (Porto Alegre)

Uma reedição da bolsa de praia com fio de sacolas plásticas. Esta, enfeitada com fuxico e fita amarela.

Fitas de vídeo transformadas em fio...

Aqui eu fiz uma mistureba legal! 10 lacres de garrafas pet como miolo de squares tecidos com fio de sacolas vermelhas-cheguei. Em cada um dos miolos uma "flor" estilizada feita com cetim prata e uma conta preta. Todo o resto do corpo da bolsa em fio de fita de vídeo e o fecho antigo, de metal. Gostei do resultado: simplesmente inusitado, do jeito que sempre busco. Esta está morando em Copacabana. Deve estar bem...

Mochila

Mais uma criação com fio de sacolas plásticas, desta vez em
forma de mochilinha.
Para levar um kit-praia para a beira do mar sem se incomodar
com a areia que sempre insiste em ficar dentro das bolsas. É só
dar uma boa sacudida que ela escapa ligeirinho entre os pontos
de crochê.

Mais uma com fio de sacolas plásticas

Esta já tinha dona eleita, e está morando no Rio de Janeiro. Também é uma
bolsa de praia, como a branca, porém com um toque "fim-de-tarde". Pelo
menos foi como a imaginei: usada para um passeio ao anoitecer à beira do
mar...
Mas bah, que saudade da Praia do Francês!

Febre de tecer fio de sacolas plásticas

Com esta bolsa inaugurei a fase de transformação de sacolas plásticas (de supermercados e lojas) em fios para tecer. Esta foi a primeira e, como tenho a mania de guardar a primeira peça de cada novo trabalho, ela não será dada de presente nem vendida. Já fiz, no entanto, três do mesmo modelo - variando cores e acabamento - e tenho encomenda de mais duas. Ainda bem que são bolsas de praia e o verão ainda demora a chegar, se não estaria em apuros com minhas clientes.

Algodão cru e estamparia artesanal

Esta é bem especial. Fiz em algodão cru e os detalhes do viés e bolsos em estamparia artesanal. Acho que ficou "clean", quase masculina ou unissex. Aprendi a fazer estamparia com a Leila.

Grafite enfeitado de P&B

Outra, com o detalhe do viés em preto e branco e o fechamento com fuxico.

Outra bolsacola

Outra bolsacola. Esta feita em poliester, bem leve.

Minha primeira bolsacola

Desde que me lembro, sempre tive alergia a máquina de costura. Apesar de ter há décadas uma excelente e saber manejá-la bem. E, de repente, me bateu essa vontade doida de criar uma bolsa que satisfizesse minhas necessidades: algo leve, com várias divisões, onde coubesse bastante coisa de forma organizada, diferente e ecologicamente correta (em substituição às ruidosas e poluentes sacolas plásticas. E assim surgiu esta minha primeira bolsacola.